tocomvontadedeumacoisaqueeunaoseoqueeComo é gostoso ter uma surpresa com um autor nacional. E foi exatamente assim que me senti ao ler o ótimo “Tô com vontade de uma coisa que eu não sei o que é”, da Tati Bernardi: surpreso!

Já havia lido alguns textos dela no site – todos muito bons, aliás -, mas confesso que comprei o livro pensando mais na namorada do que em mim. Achei que ela (não eu) poderia gostar. A Tati é mulherzinha e escreve pra mulherzinha, foi meu prejulgamento. Mas o que encontrei foi uma escritora espontânea que usa uma linguagem muito, muito coloquial e consegue enxergar contos até numa reunião de editora ou na visita à casa do carinha que arruma computador.

Se você é homem: sabe aquele sua ex-melhor amiga que era meio doida e falava sem parar sobre os assuntos mais engraçados e indiscretos quando ficava bêbada? A Tati escreve sobre isso, sóbria.

Se você é mulher: Sabe tudo que você sempre pensou, mas por ter consciência de que as pessoas julgam demais nunca, nunca sairia por aí falando? A Tati escreve isso por você.

Assim que comprei o livro, fui ao cinema. E peguei uma fila enorme para comprar ingresso. Enquanto esperava na fila, li o primeiro texto em voz alta, pra namorada ver como era legal. Aí, li mais um em voz baixa. E mais um, e mais. Depois do filme, fui para casa. Antes de dormir, li mais um. E mais um, e mais um. E foi assim, passando de um conto para outro como quem muda de assunto numa conversa na fila do cinema, ou na cama antes de dormir, que li o excelente “Tô com vontade de uma coisa que eu não sei o que é”. Em um dia.

A Tati é publicitária e foi redatora num monte de agência legal. Como eu sei que a maioria das pessoas que visitam esse blog ou escreve ou é publicitário ou estuda pra ser ou trabalha em agência – ou faz tudo isso ao mesmo tempo -, posso dizer que é impossível não se identificar com alguns casos que ela conta, independente de credo, sexo ou opção sexual. (ui)

São 136 páginas de pura identificação. Eu recomendo.

Leia também: