Sobre o autor

Resumindo

Eu me chamo Fernando Luz, sou redator publicitário freelancer, planner e gerente da equipe de conteúdo e redes sociais da Agência VM2.

Como redator de publicidade, já escrevi para clientes como: Volkswagen, MAPFRE, PirelliKodak, Ajinomoto, Crocs, Marisa, Beneficência Portuguesa, etc. e etc.

Como gerente de redes sociais e planner, além de liderar uma equipe de conteúdo e métricas em social media, fui responsável pela estratégia em fanpages e perfis oficiais de clientes como BridgestoneFirestoneBB SegurosBaterias HeliarBlindexLojas YamadaMWM, entre muitos outros.

Minha formação é em comunicação social: publicidade e propaganda. Além disso, tenho especialização em redação publicitária pelo SENAC e estou voltando a estudar Planejamento de Comunicação na ESPM.

Caso queira falar comigo, fique à vontade. Mas se tiver um tempinho e  quiser me conhecer melhor, continue lendo. Espero não ser muito chato. :}

Como nasce um redator

Com 12 anos, após ganhar alguns prêmios de redação representando a escola onde estudava e ler a coleção de livros infanto-juvenis da biblioteca de casa, comecei a vender gelinhos, obviamente, escondido.

Já havia comercializado chicletes na escola, porém nada se comparava ao lucro dos geladinhos – até porque a matéria prima era usurpada da fruteira. Houve semanas em que cheguei a faturar R$8,00! Só não fiquei milionário por falta de visão empreendedora na minha mãe, que encerrou a empreitada com uma boa sova, ao descobrir que eu não estava comendo tantas frutas como ela imaginava.

Foi então que resolvi me tornar um prestador de serviços, fazendo do meu passatempo um ganha-doce – já que cobrando dez reais por aula seria impossível ser um ganha-pão: comecei a dar aulas de guitarra e violão.

A adolescência e juventude

Em 2005, quando estudava guitarra avançada na ULM – atual Conservatório Tom Jobim –, percebi que, apesar de ter sido o primeiro colocado em uma prova com mais de 1.000 músicos, precisaria trabalhar com algo que me arrendasse mais que os R$80,00 mensais conseguidos com meus dois alunos.

Filho de um vendedor com uma professora de português, resolvi agradar a gregos e a troianos vendendo produtos por meio de textos. Decidi me tornar publicitário. Ou melhor, redator publicitário.

Comecei a faculdade de Publicidade e Propaganda em 2006. Dois meses depois, consegui meu primeiro estágio, na segunda maior empresa de pesquisa do mundo, a TNS InterScience. Após um ano aprendendo sobre a importância da opinião do consumidor na criação de produtos e, obviamente, campanhas, fui trabalhar com marketing jurídico no escritório Pinheiro e Traldi Advogados Associados em conjunto com a consultoria Central Prática.

Pouco menos de um ano depois, com conhecimentos mais específicos, entrei na Agência VM2, finalmente, como redator publicitário.

Enfim, publicitário. 

Isso já faz alguns anos. Muita coisa aconteceu de lá pra cá.

- Em 2009, conclui a faculdade de Publicidade.

- Em 2010, fiz uma especialização em Redação Publicitária no SENAC.

- Em 2011, estudei Escrita Criativa na Casa do Saber – e me tornei freelancer.

- Em 2012, abri uma empresa na área de alimentos e a vendi.

- Em 2013, fui convidado para retornar à Agência VM2, como coordenador de planejamento. No mesmo ano fui promovido para Gerente de Conteúdo e Redes Sociais.

- Agora, em 2014, volto a estudar Planejamento de Comunicação na ESPM e também estou empreendendo alguns projetos online.

Ao longo desses últimos anos, participei de inúmeros cursos, tais como: Redes Sociais, Planejamento de Comunicação em Meios Digitais, Marketing Viral, Arquitetura da Informação, Planejamento de Mídia em Meios Digitais e Inteligência Competitiva e Métricas Digitais na Jump Education, com professores como Luli Radfahrer, Michel Lent, Suzana Apelbaum, Edney Souza, etc.

Nesse tempo, como já disse lá em cima, trabalhei para clientes como Volkswagen, MAPFRE, Pirelli, Sundown Motos, Kodak, Ajinomoto, Crocs, Marisa, entre muitos, muitos outros. (Se quiser ver meu portfólio, é só me mandar um email.)

Hoje, além de empreender um projeto aqui outro ali, tenho trabalhado como redator freelancer para algumas agências e clientes desse meu Brasil lindo.

A gente vai se falando

Sabe aquela história de que a internet não é uma rede de computadores, mas de pessoas? Pois é, eu acredito nisso. Olha só o tamanho desse texto. Se foi demorado pra você ler, imagina pra eu escrever. Então. Bem que você podia não me deixar falando sozinho, né?

É sempre um prazer conhecer mais um amigo. :}