Remix | Pulp Fiction

Usando apenas os efeitos sonoros do meu filme preferido do Tarantino, Pulp Fiction, alguém muito criativo/desocupado fez uma mixagem que vai te deixar, no mínimo, admirado.

O mix tenta seguir a ordem cronológica do filme, captando as cenas e falas mais importantes.

Dificilmente, quem não viu o longa vai entender o enredo, mas quem já conhece com certeza vai lembrar da história.

Vale a pena ganhar cinco minutos apreciando.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=CzygyXR8eUc]

via


Leia também:

Bastardos e Inglórios – De cinéfilo para cinéfilo

bastardos-ingloriosSe você está lendo esse texto, das duas uma: Ou não entende de cinema, mas está pensando em ver o filme; ou gosta muito de cinema e, logo, entende um pouco do assunto. Se você faz parte do primeiro grupo, espero que essa humilde resenha te influencie positivamente. Agora, se faz parte do segundo, você é ao menos um pouco cinéfilo. E Tarantino é praticamente uma unanimidade entre cinéfilos.

Com seu estilo repleto de referências aos filmes clássicos e outros pouco conhecidos, de países como China, Japão, Rússia, França entre outros, o ex-atendente de locadora conquistou toda a nova geração de amantes da sétima arte com seu dom de contar histórias no mínimo pitorescas de maneira tão espontânea e sincera que parece transformá-las em verdades.

É com esse histórico que o diretor/roteirista lança Bastard Inglorious, seu novo filme que tem como plano de fundo a segunda guerra mundial.

No longa-metragem, com cerca de duas horas e meia de duração, Bastardos e Inglórios é o nome de uma divisão do exército norte americano que luta contra Hitler e sua ideologia. Comandado por Aldo Raine, vivido por Brad Pitt, esse exército de oito homens tem como objetivo massacrar, destruir e aniquilar todo e qualquer nazista dos modos mais dolorosos, vergonhosos e horrendos possíveis. Só para se ter uma idéia das desgraças que os Bastardos fazem, Donny Dnowitz (interpretado por Elli Roth – o criador de Albergue) é famoso por matar inimigos com um taco de baseball.

Embora o elenco de veteranos tenha sido escolhido a dedo, quem verdadeiramente rouba a cena é Christoph Waltz, um ator austríaco não muito conhecido, que fez sucesso interpretando o comandante nazista Hans Landa, apelidado “o caçador de judeus”, que passa por momentos de glória e vergonha de maneira vezes hilária, vezes brutais.

O filme, bem como no cinema mudo, se desenrola por meio de capítulos, para minha surpresa, lineares. Prova de que Tarantino não usou “fórmulas”, mas abriu mão de uma de suas marcas registradas: a não-linearidade.

Outro ponto que merece destaque é o modo com que a trilha sonora é trabalhada, principalmente nas cenas com Shosanna, representada pela bela Melanie Laurent, com cenas que mais parecem clipes.

Sinceramente, caso você faça parte do primeiro grupo referido no começo do texto – o de não conhecedores do cinema – provavelmente não vai gostar do filme. Nenhum carro explode, há poucas cenas de romance e quase nenhuma luta. Além disso, o excesso de referências que você desconhece talvez o deixe irritado.

Agora, se faz parte do segundo grupo – o de amantes do cinema – pode ir assistir Bastardos Inglórios com uma certeza: vai ver uma obra de arte. A direção de arte é ótima, os diálogos incríveis e a história genial. Além disso, o excesso de referências que você conhece vai te deixar extasiado.

Acredito que a intenção de Tarantino ao fazer Bastardos e Inglórios foi justamente essa: despertar amor ou ódio em seus espectadores; indiferença jamais.

Leia também:

Dicas de Investimento para Iniciantes

42-17664515Em um passado não muito distante, eu brincava de bolsa de valores no simulador de investimentos desse site. Inclusive, no ano passado, fiquei em 9º lugar no ranking brasileiro, com cerca de 150 mil inscritos. O que é muito legal para o ego, mas pouco para o bolso. Já que eu não ganhei nem um centavo, apenas experiência.

Nessa época, li alguns livros sobre investimento, especulação e conheci a história de Jesse Livermore, um grande investidor, considerado por muitos o maior especulador de todos os tempos.

Livermore registrou suas memórias em Reminiscences of a Stock Operator, um livro cheio de informações úteis sobre especulação, investimentos e afins.

Veja a seguir algumas dicas retiradas das memórias do Jesse, que eu encontrei aqui:

• Nunca opere baseado em dicas;
• Use um sistema e não saia dele;
• Nunca compre uma ação porque ela teve uma grande queda da sua última alta;
• Se uma ação não agir corretamente não a toque; porque, não podendo dizer precisamente o que está errado, você não pode dizer para que lado ela irá;
• Não culpe o mercado pelas suas perdas;
• Nunca aumente uma posição perdedora. Uma posição perdedora significa que você está errado;
• Ações nunca estão muito altas para começar a comprar nem muito baixas para começar a vender. Mas depois da primeira transação, não faça uma segunda a não ser que a primeira mostre lucro;
• Sempre venda o que mostra um prejuízo e mantenha o que está dando lucro;
• Não discuta com o mercado. Não procure recuperar o prejuízo. Saia enquanto a saída é boa – e barata;
• Existe somente um lado no mercado financeiro. E não é o lado bull (alta) e nem o lado bear (baixa) mas o lado certo;
• O maior inimigo de um especulador é sempre o tédio;
• Um homem deve sempre confiar em si mesmo e no seu julgamento se ele espera ganhar a vida com essa profissão;
• Sempre use gerenciamento de capital;
• Estabeleça o seu plano de trade antes que o mercado abra;
• Detalhe o seu plano para cada trade;
• Estabeleça pontos de entrada e saída e entenda a relação entre risco e recompensa;
• Aceite pequenas perdas como parte do jogo se você quiser vencer;
• Desenvolva um plano de trade para cada situação que você pode vir a enfrentar;
• Não concentre-se no valor em que você empata quando estiver perdendo;
• Não liquide uma posição vencedora para manter uma perdedora;
• Desenvolva e mantenha um plano de saída. Siga esse plano com rígida disciplina;
• Tenha paciência. Grandes movimentos demoram para se desenrolar;
• Não fique curioso demais sobre a lógica por trás de um movimento. A chave para a fortuna no mercado é a simplicidade.

O livro está disponível em português e gratuitamente aqui.

Como você é legal, moderno e inteligente, pensei que podia interessar. :)

Leia também:

Sobre a Coca-Cola e seu Senso de Oportunidade

coca-colaA história é mais ou menos assim:

O Marcus escreveu no twitter que estava com um calor insuportável. O cara que escreve no perfil da Coca-Cola no twitter falou para ele que uma coca ia bem. Marcus, sem pestanejar, pediu um fardo do refrigerante para ele e seus amigos de trabalho, e foi almoçar. Quando voltou, recebeu uma dúzia de cocas geladinhas com um cartão dizendo:

“@Marcus_Lemos Um presente da Coca-Cola para você. Coca-Cola gelada para a turma do trabalho. Abra a felicidade! @CocaColaMG.”

Essa história foi contada por diversos veículos de comunicação e os tuits do Marcus receberam algumas centenas de replies.

Moral da história: Senso de oportunidade é tudo.

Leia também:

Propaganda para cachorro

Para vender a ração da Purina, a agência Jost Van Brandis, da Alemanha, ao invés de criar algo que chamasse a atenção dos donos de cães, resolveu apelar para o olfato dos próprios cachorros, colocando cartazes com cheiro de carne em praça pública.

Assim, quando o cão passear com seu dono, fará de tudo para chegar mais perto do anúncio, com a ânsia de devorá-lo, enquanto seu propietário verá a propaganda.

Bem legal e inusitado.

paracao

paracao2

via

Leia também: